Deep Sky Jatobá, inove em suas observações. Entre nessa !!!


Vamos prestigiar o nosso Hemisfério Sul

(Deep Sky Jatobá)


Por: Audemário Prazeres - A.A.P

Presidente fundador da A.A.P.

Observador dos objetos dos catálogos Jatobá, e Messier

41 anos atuando na Astronomia, e suas práticas


1) A IMPORTÂNCIA DO RESGATE AO CATÁLOGO JATOBÁ


No contexto histórico:


O “Catalogo Jatobá foi uma criação do astrônomo Tasso Napoleão, juntamente com alguns colegas da antiga Associação de Astrônomos de São Paulo, resolveram criar, na década de 80, uma lista de objetos astronômicos visíveis a partir do hemisfério sul, nomeado como Catálogo Jatobá, uma homenagem à bela árvore amazônica brasileira de mesmo nome

(Revista Macrocosmo Nº 21 pág. 30 - Revista ao qual fui Co-fundador).


Quando nós da A.A.P., pensamos em resgatar o Catálogo Jatobá, não foi apenas no sentido de desvencilharmos da visão engessada eurocentrada vista nos catálogos Messier e NGC por exemplo. Bem como, não se tratou de um nacionalismo em prestigiar um catálogo dos objetos do céu profundo de natureza nacional. Na verdade, quando em 1922, a União Internacional de Astronomia (IUAA) fixou definitivamente as constelações em um acordo internacional, e isso depois das aduções de Johan Bayer em 1603, de Hevélius no fim do século 17, e ainda as de Lacaille em 1752, que fixou em um total de 88 constelações, sendo 40 no hemisfério norte e 48 no hemisfério sul. Com isso, temos o privilégio de observarmos uma maior “fatia” do Firmamento, em especial aqueles dispostos com declinações boreais, ou astrais. Afinal, observamos determinados astros não apenas de acordo com a data e a hora em que fazermos a observação, e sim, de acordo com a Latitude do local em que observamos. Por exemplo: Se pegarmos a linha do meridiano celeste que passa por cima da cidade de Bezerros (cidade de Pernambuco onde se encontra a A.A.P.), essa linha vai do Polo Sul ao Polo Norte, e cruza o Equador a 8° do Zênite (latitude de Bezerros). Com isso, em Bezerros a parte visível do Hemisfério Norte é: 90° - 8° = 82° Também em Bezerros, a parte visível do Hemisfério Sul é: 90° + 8° = 98° - Perceberam a grande VANTAGEM de contemplarmos o Catálogo Jatobá ao invés de outros catálogos “eurocentristas”?


2) QUAIS OS PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA AS OBSERVAÇÕES E REGISTROS DOS OBJETOS DO CATÁLOGO JATOBÁ?


Não existem complicações para o desenvolvimento das observações e registros desses objetos. Nós separamos uma lista dos jatobás nas quais correspondem em etapas de Certificação. Ou seja: Certificado PLENO, Certificado SÊNIOR e Certificado MASTER.


Essas modalidades, e nomenclatura de CERFICAÇÃO se mostram dispostas ao final desse artigo. Trata-se de uma iniciativa com critérios estabelecidos pela A.A.P., visando o aficionado começar as suas observações desses Deep Sky do hemisfério sul começando com a lista "Pleno" (nos quais se mostram com magnitude visual que sugere serem facilmente encontrados). Já as outras etapas "Sênior" e "Master" vai requerer do observador mais precisão, e paciência nos seus registros observacionais.


Pela larguíssima experiência observacional que temos com os objetos do céu profundo de forma arraigada em QUATRO décadas observacionais, podemos afirmar que observar os 112 objetos Jatobás é algo possível onde fique certo que sua certificação obtida em cada etapa assumirá o caráter HONESTO e FIDEDIGNO uma vez sabermos por experiência o que você observou, e registrou. Dessa forma, seu Certificado terá a chancela da Associação Astronômica de Pernambuco – A.A.P., uma entidade oficializada no cenário astronômico, e que, JAMAIS esteve em (hiato) de suas atividades desde a sua fundação em 1985 (36 anos).


Você pode fazer uso de um programa simulador de planisfério celeste que desejar. Mas, se quiser fazer uso do Stellarium, é um programa que você faz download para o PC de forma gratuita em diversas versões mediante o Sistema que o seu computador possui (https://stellarium.org/pt/).


A forma de registro de cada objeto Jatobá será de forma simplificada. Basta dispor em um arquivo Word os seguintes dados de cabeçalho:


a) Seu nome;

b) Sua localidade observacional;

c) O seu e-mail;


Nesse mesmo documento Word, para cada objeto Jatobá você vai citar:


a) É obrigatório citar a nomenclatura dos Jatobás a letra “J” seguida do número (veja abaixo nas tabelas);

b) O tipo do instrumento utilizado (binóculo, luneta ou telescópio);

c) A data, e hora em Tempo Universal (TU);

d) Uma imagem fotográfica obtida por você, ou se tiver impossibilidade em tirar uma foto, pode ser um desenho à mão do referido Jatobá. Não se preocupe se o desenho não sair de forma “artística”. Como também, fique seguro que iremos avaliar as fotografias, ou desenhos na HONESTIDADE TÉCNICA de quem conhece o que você registrou (é por essa razão que um certificado da A.A.P., possui um alto rigor uma vez sermos criteriosos na sua emissão);

e) Quando você atingir a quantidade dos jatobás de cada etapa, transforme este documento Word em PDF (o próprio Word já salva automaticamente nesse formato), você envia essa relação para o e-mail: astronomiaaap@gmail.com (aguarde o tempo que necessitaremos para analisar um a um os registros que você desenvolveu, onde lhe enviaremos o CERTIFICADO oficializando você ser um "ASTRONOMO AMADOR SISTEMÁTICO").

3) DICAS DIANTE OS OBJETOS DO CATÁLOGO JATOBÁ


A grande vantagem de você desenvolver suas observações dos Jatobás, é a PRATICIDADE que o aficionado pelas práticas observacionais terá com os registros dos mesmos. Pois, você pode instituir métodos práticos elaborando um roteiro das constelações em que os Jatobás se encontram. Acredite, observar os 112 objetos do Catálogo Jatobá é uma ação possível em alguns poucos meses. Porém, para a etapa MASTER, é interessante possuir um telescópio com poder de campo, e resolução encontrado em um newtoniano de 6 polegadas é fundamental. Pois, existem catálogos de objetos de céu profundo onde se afirmam "observar" todos os objetos em dimensões de espelhos menores onde isso é um tanto que improvável.


Não é necessário você anotar em cada Jatobá registrado uma Escala de Borthe ou algo equivalente. Esse dado que remete a qualidade/transparência do céu local só tem sentido quando quem avalia os seus registros tenha a condição de estar in-loco com você, para juntos descreverem a qualidade do céu uma vez ser muito subjetivo essa análise nas quais envolve diversas variantes. Além do mais, fique certo que quem vai avaliar os seus registros na A.A.P., conhece de fato o que você observou associando com as características do instrumento utilizado. Bem como, determinados dados locais meteorológicos são totalmente dispensados você fazer citá-los. O que importa mesmo, é você ter seguido o roteiro de CAÇA aos Jatobás em que atesta o objetivo maior que é a sua familiarização com os objetos do céu profundo dispostos nas Constelações de destaque no Hemisfério Sul.


Por fim, leia as dicas de observações para os Objetos do Catálogo Jatobá descritos no artigo da A.A.P. (https://www.astroideias.com/post/alguns-conselhos-na-ca%C3%A7a-aos-objetos-do-c%C3%A9u-profundo).


Boas observações, e conte sempre conosco para seguir de forma SISTEMÁTICA nas práticas observacionais.


A.A.P.









85 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo