LUA A NOSSA DEFESA NATURAL

Eminho Giglioti

Coordenador da Divisão Lunar da A.A.P.



Hoje nossa Lua está praticamente indefesa e sofre todo tipo de intempéries e é bombardeada constantemente por radiação e fortes ventos solares, impactos de meteoritos e pequenos asteróides, variações drásticas de temperatura que vão de -150°C a 120°C, mas nem sempre foi assim, a nossa Lua já teve um campo protetor ou escudo que a protegia muito mais do que o da própria Terra no passado.

A vida na Terra é sustentável também graças ao seu campo magnético que bloqueia as constantes emissões de partículas dos ventos solares e ejeções de massa coronal que nos atingem com frequência hora mais forte, hora mais fraca.

Por outro lado, nossa Lua não possui um campo magnético que a proteja de todo tipo de intempéries, o que a torna vulnerável e de difícil colonização, o que é um grande problema.

Porém a bilhões de anos no passado, a Lua possuía um campo magnético e este campo a protegia muito mais que o próprio campo da Terra como citamos anteriormente, mas existe uma questão, por que este campo magnético desapareceu, e como funcionava?

Para responder essas questões o Instituto Tecnológico do Massachussets (MIT), através de uma pesquisa analisou amostras de rochas do solo lunar em busca de respostas.


Essas rochas pesquisadas com bilhões de anos ainda possuem traços do campo magnético e através delas sabe-se que podem rastrear a evolução desse campo.

A 4 bilhões de anos este campo magnético da Lua possuía 100 microteslas, (Unidade de Medida da Densidade do Fluxo Magnético), comparado hoje com o da Terra que é de 50 microteslas, mas esse elemento protetor desapareceu a cerca de 1 bilhão de anos atrás.

Para chegar a uma resposta de como esse campo sumiu é necessário todo um trabalho de pesquisa intensa para entender como surgiu este campo, e durante as pesquisas os cientistas chegaram a uma conclusão que gerou causas principais para estes fatos.


Uma delas seria em relação a proximidade da Lua em relação à Terra, pois naquele tempo a Lua estava muito mais próxima de nós e isso gerava uma interação entre a força gravitacional da Terra que agitava o núcleo líquido da Lua e esse funcionava como um dínamo que criava correntes elétricas e formava o campo magnético, mas a medida que a Lua se afastava da Terra, cerca de 4cm por ano, seu núcleo perderia energia e seu dínamo ficaria cada vez mais fraco, dessa forma o campo magnético se enfraquecia, então a 2,5 bilhões de anos o núcleo da Lua começou a cristalizar e resfriar, movendo os líquidos e enfraquecendo cada vez mais seu campo magnético, por fim, o núcleo cristalizou completamente e seu dínamo parou de gerar energia.

A análise das rochas mostrou que cerca de 1 bilhão de anos atrás, o campo magnético da Lua era de 0,1 microteslas, dando uma conclusão superficial aos cientistas que foi nessa época que tudo parou de funcionar e o campo magnético da Lua desapareceu.


Mas ainda existem outras questões em aberto, o dínamo realmente parou?

Fica a dúvida se realmente estaria imóvel ou entrou num ciclo chamado de "Pausa Ativa" antes de desligar eternamente.

E a medida que a Lua se afasta contribui ainda mais para que este núcleo nunca mais volte a funcionar e gerar energia, e a força gravitacional que interage sobre a Terra causando efeitos sobre o clima, mares, plantações, colheitas e muitas outras, vão ficando cada vez mais fracas a cada ano mas, os efeitos não serão sentidos ainda pois levará milhões de anos até que surta algum efeito e até lá, nosso Sol já poderá ter consumido os planetas internos e duvido que estaríamos aqui ainda pra sentir tais efeitos.


Eminho Giglioti

Coord Divisão Lunar

www.astroideias.com

39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo